Como você tem usado o marketing a favor do seu restaurante?

Além da insegurança e do medo de ficarmos doentes, a atual pandemia do novo Coronavírus trouxe com ela a crise econômica e a necessidade de se destacar em um mercado peculiar.

Assim como em todos os outros setores, o modo de consumo no setor de alimentação também mudou bastante não só na estrutura geral de funcionamento (leia depois este texto incrível sobre essa mudança de cenário) como no comportamento e na exigência dos clientes.

Não é nenhuma novidade que as Boas Práticas sempre foram essenciais para os serviços de alimentação.

A diferença é que agora o consumidor assumiu um papel de verdadeiro fiscal e está de olho em todos os detalhes, o que transformou algo que antes era uma obrigação em um diferencial competitivo.

Na hora de escolher onde pedir aquele delivery ou pegar aquela comida saborosa de sempre na porta do restaurante ou lanchonete no estilo “take away”, os clientes estão optando pelos estabelecimentos que estão tomando cuidados extras com a higiene (veja este estudo detalhado sobre as novas escolhas alimentares observadas durante a pandemia).

Para driblar a crise, é importante que você, dono de um negócio de alimentação que conseguiu manter pelo menos um pouco das suas atividades ativas, saiba aproveitar todos os recursos de marketing (de preferência com um custo baixo, não é mesmo?) que estiverem ao seu alcance.

Pensando nisso, este artigo traz para você 5 dicas de como transformar o que sempre foi obrigação em estratégias de marketing focadas nas redes sociais.

Dica 1: O que fazer quando o estabelecimento não conseguir se adaptar às novas recomendações e modelos de funcionamento permitidos atualmente, mas pretende voltar às atividades posteriormente?

Nesses casos, explorar o seu marketing através das redes sociais pode ser a solução para que a marca não caia em esquecimento total.

Ser criativo é essencial para utilizar essa estratégia, na qual é possível oferecer experiências ao cliente.

Como já sabemos, nem sempre uma comida boa é suficiente.

Muitas vezes, a experiência vivida é o que mais importa!

Vários estabelecimentos fizeram lives do tipo “cozinhe com o chef”, prepararam kits de finalização de pratos gourmet em casa com ajuda especializada por chamada de vídeo ou atividades que podem ser feitas em família que trazem experiências prazerosas online.

Dica 2: Participe das lives dos músicos da sua cidade que estão em alta, com mais acessos.

Quem conseguiu manter um sistema de funcionamento básico pode usar o marketing ao patrocinar lives locais, nas quais os artistas podem falar sobre os cuidados de higiene redobrados que o seu estabelecimento está tendo durante a pandemia.

Cupons de desconto durante as apresentações são bem atrativos, mas o investimento em lacres de segurança e higiene nos processos de delivery, por exemplo, estão ganhando, até mesmo, dos descontos segundo pesquisas de mercado recentes.

Dica 3: Faça parcerias com digital influencers da sua cidade.

Mostre todos os cuidados que o seu negócio tem com os alimentos para o/a digital influencer e se prepare para receber pedidos dos seguidores quando ele/ela der a opinião sobre o seu estabelecimento nas redes sociais.

Muitas vezes, uma indicação de alguém que confiamos conta bastante na hora da escolha.

E quem não tem um digital influencer preferido hoje em dia?

Dica 4: Mostre nas suas redes sociais, claramente, tudo que você faz para garantir a segurança dos alimentos.

Vale tudo para mostrar seu comprometimento com as boas práticas de fabricação (BPF) e com as novas normas sanitárias: fotos dos manipuladores com uniformes limpinhos e em número reduzido de pessoas dentro da cozinha, planilhas de higienização completas que provem o reforço dos procedimentos de higiene, vídeos de treinamentos com o seu consultor/a de alimentos, fotos das plaquinhas de lavagem de mãos que ficam próximas às pias, dentre outros.

O céu é o limite para as opções de boas práticas que podem ser exploradas em posts variados com fotos, vídeos e boomerangs divertidos.

Lembre-se que tudo que você já era obrigado a fazer pode virar uma carta na manga para uma boa divulgação.

Dica 5: O que fazer se o estabelecimento já não estava em dia com as normas sanitárias antes da pandemia?

Conte com a ajuda de uma consultoria especializada em negócios de alimentação.

Aproveite as visitas e se adeque de uma vez por todas!

Assim, seu estabelecimento estará pronto para se destacar nas postagens sobre as Boas Práticas nas redes sociais.

Lembre-se que além de melhorar a segurança dos alimentos comercializados pelo seu estabelecimento, este serviço pode te auxiliar na solução de vários desafios que você enfrenta na sua empresa, como problemas no atendimento e na gestão de pessoas.

O lado marketeiro das temidas BPF ajuda a promover a tão sonhada confiança dos clientes no seu negócio, visto que o interesse do consumidor está diretamente ligado aos cuidados que você mostra ter.

Com o isolamento social, é natural que as pessoas passem mais tempo com o celular na mão.

A estratégia é estar exatamente onde o seu cliente está e oferecer exatamente o tipo de produto que ele quer comprar, que são alimentos confiáveis e seguros!

Luiza Dutra

Você gostou deste artigo? Deixe seu voto!!

5/5 - (4 votes)