O profissional que busca seguir o ramo da Engenharia voltada para a produção de alimentos ou desenvolvimento de novos produtos ou ainda consultoria alimentar, pode se interessar pela Engenharia de Alimentos.

Em relação às demais engenharias, a engenharia de alimentos é um curso novo e de extrema importância no mercado atual devido a crescente demanda dos serviços de alimentação.

As pessoas comem cada vez mais fora de casa e a cada dia surgem novos estabelecimentos com diversos serviços para satisfazer esses consumidores.

engenharia de alimentos

Saiba mais sobre o curso de Engenharia de Alimentos:

O curso de Engenharia de Alimentos tem a duração de 5 anos e a grade curricular envolve matérias da área de exatas, da área de biológicas e da área química.

São passados conteúdos de cálculo, física, química orgânica e inorgânica, todos os setores de matérias primas, como laticínios, carnes, hortifrutigranjeiros, pescados, entre outros, além de toda a parte de legislação, como rotulagem, controle de qualidade, normas e boas práticas.

Essa característica do curso de engenharia de alimentos torna o profissional capaz de atuar em vários segmentos, tanto da indústria alimentícia quanto em restaurantes e demais serviços de alimentação.

O profissional também sai capacitado para trabalhar em laboratórios de pesquisa, controle de qualidade de matérias primas e/ou de processo e desenvolvimento de novos produtos.

A questão ambiental, como tratamento de efluentes, descarte de resíduos de laboratório e descarte do lixo produzido em escala industrial ou na produção de restaurantes é outra área abordada no curso.

Na sequencia das aulas teóricas, é exigido um estágio curricular e um relatório de conclusão de curso. Após a graduação, o profissional precisa se registrar no CREA de seu estado, que é o conselho que fiscaliza o exercício da profissão e determina o piso salarial.

Média de Salário do Engenheiro de Alimentos

O salário e o valor de cada serviço prestado pelo Engenheiro também pode ser consultado nos sindicatos de cada região. Esses valores variam de região para região, de estado para estado.

Como exemplo, o piso salarial para Engenharia de Alimentos no estado de São Paulo é 6 salários mínimos para 6 horas diárias, 7,25 salários mínimos para 7 horas diárias e 8,5 salários mínimos para 8 horas diárias (fonte CREA SP).

Campo de atuação do Engenheiro de Alimentos

O Engenheiro de Alimentos pode atuar em laboratórios de controle de qualidade ou laboratório de desenvolvimento de novos produtos, no setor produtivo de indústrias, restaurantes, churrascarias, pizzarias, em cozinhas industriais, padarias, hotéis, açougues, asilos, creches e escolas.

Pode atuar desenvolvendo novos maquinários ou softwares para melhorar o processo de fabricação, na área de venda de produto acabado ou na compra de matérias primas.

Pode atuar na vigilância sanitária ou como auditor e fiscal do Ministério da Agricultura ou da Anvisa.

engenharia de alimentos

Outra área é a consultoria.

Ele pode se especializar em controle de qualidade, em implantação das exigências previstas nas leis que regulamentam os serviços de alimentação e auxiliar os proprietários de empresas a se adequar a essas leis.

Na parte industrial ou na manipulação de alimentos feita por serviços de alimentação, o Engenheiro de Alimentos pode trabalhar em todas as etapas do processo. São alguns exemplos:

– Qualificação de fornecedores, incluindo visitas ao mesmo quando necessário;

– Compra de matérias primas e aditivos alimentares;

– Recebimento de matérias primas, aditivos, embalagens e qualquer outro item que for entrar no estabelecimento;

– Supervisão do processo produtivo ou manipulação dos alimentos;

– Controle de pragas;

– Tratamento de resíduos e descarte das sobras e lixos oriundos do processo produtivo;

– Análises laboratoriais, tanto para controle da produção, quanto do produto final;

– Desenvolvimento de novos produtos;

– Padronização da produção, para evitar desperdícios e garantir que o produto resultante do processo seja sempre o mesmo;

– Coleta e controle de amostras do produto acabado;

– Controle de qualidade;

– Aplicação das normas e legislações vigentes;

– Fiscalização da distribuição do produto final;

– E, capacitação dos manipuladores de alimentos; incluindo treinamentos, palestras, aplicação prática dos conteúdos aprendidos e fiscalização dos mesmos para garantir que esses conceitos estão sendo aplicados no dia a dia.

engenharia de alimentos

O Engenheiro de Alimentos auxilia os empresários a organizarem a produção de forma que todas as etapas do processo se adequem a legislação para garantir alimentos seguros para o consumidor.

Por isso esse profissional deve estar sempre atualizado com o que surge de novo no mercado, estudando novas tendências e com as legislações sempre em dia.

Conselho de Atuação do Engenheiro de Alimentos

Caso esse profissional resolva seguir o ramo da consultoria, precisa se dirigir ao CREA e informar que vai trabalhar nessa área.

Os valores das atividades realizadas pelos consultores são determinados pelos sindicatos de cada região.

Por exemplo, para elaboração de Manual de Boas Práticas de Fabricação que é uma exigência para todos os estabelecimentos que trabalham com alimentos, o valor é R$2000,00 em São Paulo.

A hora técnica R$80,00, a consultoria é R$250,00 por hora e o treinamento de manipuladores R$300,00 por hora (fonte sindicato dos nutricionistas do estado de SP).

Seja um profissional da área de alimentos e contribua para uma alimentação segura para o consumidor!

Colunista: Patricia Leal

Você gostou deste artigo? Então deixe seu voto abaixo!

Engenharia de Alimentos: produção padronizada e alimentos seguros
4.8 (96%) 5 votes
bannerblog-correto